Contando a história do nosso município

HISTÓRICO DA CIDADE


        As primeiras povoações ocorridas no território onde hoje pertence ao município de Licínio de Almeida, datam da década de 1930. Ocupando as terras da fazenda Gado Bravo do Sr. Ernesto Soares, onde as primeiras edificações do arraial eram próximas de uma lagoa existente no lugar devido ao fácil acesso a água e por concentrar as principais atividades produtivas da fazenda.


        Com o advento da construção da Rede Ferroviária Federal S/A, na década de 1940, o arraial Gado Bravo passa a ter um fluxo maior de pessoas, e com isso, surgem mais edificações, tendo uma rápida aglomeração transformando em um  grande arruado de casas que serviam de base para os trabalhadores da ferrovia. Nesse rápido crescimento o arraial transformou-se num povoado e logo em seguida em Vila.

Licínio de Almeida

Em 1953, pela lei Estadual nº. 628 o povoado de Gado Bravo foi elevado ao status de

Distrito, passando a se chamar Licínio de Almeida   em homenagem a um engenheiro que trabalhou na construção da estrada de ferro. Com o passar do tempo, esse distrito cresceu e alguns políticos da época almejavam a sua emancipação política.


          Finalmente em 12 de abril de 1962, através da Lei Estadual nº. 1670 D.O de 14 de abril de 1962 criou-se o município de Licínio de Almeida, que hoje conta com uma vila (Duas Passagens), um Distrito (Tauápe) e um povoado (Jurema), além de quatro bairros, Matinha, Montanha, Gerais e Potosi e um número significativo de comunidades rurais.


         O Município de Licinio de Almeida está distante 744 km de Salvador, sendo ligado a capital pela  BR-030, BA-262, BR-324 e BR-116, mantendo fortes vínculos nas áreas comerciais, de serviços e econômico-financeira com Guanambi e Caetité . Limita-se ao norte com Ibiassuce e Caetité, ao sul com Jacaraci, ao oeste com Pindai e Urandi e a leste com Caculé. Com altitude de 860 m acima do nível do mar. Licínio de Almeida está localizado na Região Sudoeste do Estado da Bahia, tem como Região de Planejamento e Econômica a Serra Geral, Região Administrativa de Caetité, fazendo parte da Microrregião de Guanambi.


     O município teve como força motriz do seu desenvolvimento a instalação da linha férrea e, posteriormente da Mineração Urandi S/A, exploradora do manganês, principal minério do município, além da agricultura e da pecuária que hoje exerce influência na economia local. Nessa lógica fez-se necessário analisar esses aspectos para melhor compreensão do processo de transformação sócio-espacial do município. Hoje esse setor vive uma fase de recuperação que passa também pelo resgate da credibilidade do transporte ferroviário. A ferrovia se encontra abandonada, suprindo aos interesses de empresas como a Ford e a Magnesita S/A para o transporte de mercadorias em larga escala, como foi informado por alguns trabalhadores da empresa.


      Outro  aspecto importante para a economia local e regional foi A Mineração Urandi S/A que  chegou as vésperas da emancipação política do município de Licínio de Almeida. Na década de 50 a Empresa pesquisou e depois comprou as áreas onde fora constatadas à existência do manganês. Na década seguinte foi o momento de exploração das jazidas. Foi justamente no dia 12 de abril de 1962 que Licínio de Almeida foi emancipado, coincidindo com o período de implantação da Empresa.


      Na década de 70 mais de 700 funcionários trabalhavam na Empresa, sendo a sua grande maioria, operários braçais que removiam o manganês das terras vermelhas e o colocavam nas caçambas que despejados depois nos vagões seguiam para fornos de Salvador. Assim, compreende-se a importância da mineradora para com o desenvolvimento de transport es, comunicação e como a maior fonte de renda e trabalho para o município.


      Em 1982 intensificava a crise do petróleo que afetou diretamente a mineração, o que ocasionou varias demissões e o declínio da empresa Mineração Urandi S/A, introduzindo-a no processo de privatização na década de 1990, o que proporcionou um enxugamento, sobretudo na questão dos empregos e uma estagnação no setor econômico. A mineradora deixou também suas conseqüências que vai desde a degradação do meio ambiente, à mutilação de vários funcionários. Isso por causa de acidentes na extração ou no transporte do manganês e pela poluição provocada pelo processamento dos minérios. O monopólio da mineração não promove desenvolvimento para o município, as reservas existentes estão sob o controle da  Rio Doce Manganês (RDM).
Outra fonte econômica primaria no município é a extração de pedras semi-preciosas e preciosas como Ametistas e o Citrílio (topázio falso) na região conhecida como garimpo próxima ao distrito de Tauápe, porém, a exploração é feita por pessoas de outras regiões que compram as pedras por preços baixos e vendem por preços bastante elevados. Devido à existência de solos de alta fertilidade e clima quente e seco, tem dupla aptidão agropecuária, com destaque para a criação de gado bovino e os cultivos vegetais para a subsistência.


      Hoje, o município é formado pelo distrito de Tauápe e o Povoado de Jurema e demais localidades rurais, com uma população, que de acordo o CENSO 2010 está estimada em 12.320 habitantes (http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/censo2010/tabelas_pdf/total_populacao_bahia.pdf)  numa área de 785,42 km², o que acarreta uma densidade demográfica de 16,16 habitantes por km², com uma altitude de 860m acima do nível do mar. O clima é classificado como semi-árido e seco a sub-úmido com temperaturas média anual de 20°C, máxima de 25,1ºC e mínima de 15,6ºC.
No município, com o destaque para o povoado de Jurema, existe uma das mais significativas áreas de plantio de cana-de-açúcar do estado, com uma anual em torno de 20.621 toneladas. No entanto, esse avanço na agricultura, foi conseguido através de processos inadequados de plantio, o que vem causando graves problemas ao meio ambiente local.


       Além da cana-de-açúcar e da mandioca, outros produtos agrícolas, também merecem uma atenção especial, são eles: o milho com uma produção anual em  torno de 250 toneladas, a laranja com 238 e o feijão com 187 toneladas/ano. Licínio de Almeida, também possuiu números significativos na pecuária, sendo predominantes os rebanhos de aves, bovinos, suínos e eqüinos. A cultura de cana-de-açúcar destaca-se pelo fornecimento de matéria-prima para agroindústrias de aguardente e venda para outros municípios. As culturas de mandioca, milho feijão, banana e hortigranjeiros tem pequena participação na geração receita para o município, porem são importantes para a subsistência da maioria da população rurais e pequenos produtores.
As vocações econômicas do município estão basicamente na pecuária de leite e na agroindústria da cana-de-açúcar com a produção de aguardente.
Deve-se destacar também a expressiva participação do segmento alimentício, tanto no número de estabelecimentos, como na geração de empregos. Existe ainda uma cerâmica de pequeno porte que confecciona artefatos de barro como blocos, tijolos e telhas, porém sua produtividade é pequena abastecendo só ao município.


       Com um Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) de 0,675, o município passa por dificuldades de desenvolvimento, recorrendo às políticas públicas implementadas e aos setores econômicos  promissores, como agricultura e serviços.    A saúde no município é totalmente atendida pelo poder público municipal. O município possui apenas um hospital, um centro de saúde, quatro postos de saúde, um laboratório de análises e três consultórios odontológicos.


          Quanto aos indicadores da educação, Licínio de Almeida tinha em 2000, 94,42% de pessoas frequentando o curso de nível fundamental (considerando a parcela da população entre 7 e 14 anos de idade), o que o coloca em situação superior à estadual e inferior à nacional. A escolaridade da população de 25 anos ou mais de idade foi de 38,02% pessoas sem instrução ou menos de um ano de estudo,  41,53% pessoas com 1 a 4 anos de estudo, 9,03% pessoas com 5 a 8 anos de estudo, 9,33% pessoas com 9 a 11 anos de estudo, 0,46% pessoas com12 anos ou mais de estudos.
Na sede do município, estão localizados o Grupo Escolar Julieta Cardoso David, a Escola Municipal Waldeck Ornelas, a Escola Municipal Pingo de Gente e o Colégio Estadual Duque de Caxias, Em Jurema temos a Escola Municipal Joaquim de Sousa Lobo e o Colégio Municipal João Paulo II, estão localizados em Tauápe o Colégio Estadual Eraldo Tinoco e o Colégio Municipal Padre Anchieta. No município, atualmente existem 18 escolas localizadas na zona rural do município, divididas em 2 Núcleos Rurais.


         Nos últimos tempos o constante crescimento da Educação do município de Licínio de Almeida, vem comprovar a evolução do processo de ensino-aprendizagem em nosso município. Com o incentivo do Instituto Ayrton Senna,  adesão direta  Município-IAS foi criado através da Solução Auge Educacional o site www.liciniodealmeida.edu.ba.gov.br com o objetivo de informatizar a educação liciniense, além da divulgação dos trabalhos desenvolvidos pela Secretaria Municipal de Educação e todas as escolas do município.


          Licínio de Almeida  também conta com inúmeras premiações em nível educacional, Olimpíadas de Língua Portuguesa e Matemática (níveis estadual e nacional), o aluno Lucas Freire da Escola Municipal Pingo de Gente foi o vencedor nacional do 40º Concurso de Cartas dos Correios 2011, que representou o Brasil na Suiça, o Projeto “Quem não cuida, não morde” do Colégio Municipal João Paulo II foi selecionado para representar o Brasil no 1º Concurso Jovens Inovadores do MERCOSUL 2011 este ano sediado pela Argentina, além de um significativo número de alunos aprovados em Instituições Federais.


           Em relação ao Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB), o nosso município obteve um crescimento maior que a média nacional em 2009, enquanto no ano de 2007 o ínLicínio anos 80dice  foi de 4,0  pontos no Fundamental I e II. Em 2009 aumentamos para 4,8 pontos no Ensino Fundamental I, 4º Lugar da Bahia ( 20% acima da meta projetada pelo MEC) e 4,9 pontos no Ensino Fundamental II, sendo o  1º Lugar da Bahia ( 69% acima da meta projetada pelo MEC).  Sendo assim, de acordo com os números recentes, a nossa educação está entre as melhores da Bahia.


  Em termos de cultura e lazer, a população está bastante carente, não existe cinemas ou teatro, a população dispõe apenas de uma biblioteca pública e de atividades esportivas promovidas pela própria população e pelo Projeto Grandes Craques, Novos Talentos do funcionário público Jaime Pereira, que por iniciativa própria e sem ajuda econômica comanda um projeto de assistência às crianças carentes através do esporte. A cidade conta com dois campos de futebol na sede e vários no interior do município, um centro esportivo, três quadras poli esportivas. Existem dois clubes particulares e um clube municipal, porém pouco se promove eventos culturais que possibilitem à população o resgate da cultura local. Assim a juventude desenvolve o desejo do consumo de bebidas alcoólicas por não lhes oferecer  subsídios na prática de atividades que favoreçam o desgaste de energias.  
    Atualmente Licinio de Almeida, vive um quadro de desequilíbrio que afeta todos os setores da economia do município. Há mais de vinte anos, o município convive com longos períodos de estiagem, somado ao desmatamento descontrolado e queimada para fabricação desenfreada de carvão, agravando a situação a cada ano.

 

Prefeitos


1º Prefeito Sr. Mário Moraes Santana Período: de 1963 a 1966
2º Prefeito Sr. Osmário Fernandes da Rocha Período: 1967 a 1970
3º Prefeito Sr. Carlos Neri Borborema Período: 1971 a 1972
4º Prefeito Sr. Neormísio Mascarenhas Período: 1973 a 1976
5º Prefeito Sr. Eudimirar Pereira Donato Período:1977 a 1982
6º Prefeito Sr. Alfredo Pereira Santos Período:1983 a 1988
7º Prefeito Sr. Cosme S. Cangussu Período:1989 a 1992
8º Prefeito Sr. Alfredo Pereira Santos Período: 1993 a 1996
9º Prefeito Sr. Áureo Mendes da Silva Período: 1997 a 2000
10º Prefeito Sr. Cosme Silveira Cangussu Período: 2001 a 2008
11º Prefeito Sr. Alan Lacerda Leite Período: 2009 a 2012




Hino a Licínio de Almeida
Música e letra: Ana Maria

Entre bosques, colinas, outreiros
ao sussurros das águas das fontes
surge altiva esta terra formosa
engastada ao sopé destes montes,
Seu progresso é a grandeza que eleva,
Ao futuro da nossa nação,
É uma jóia cravada no peito,
desta terra que é a Bahia.

Licínio de Almeida! Licínio de Almeida!
grande nome que grande expressão,
No progresso, no progresso,
na grandeza de nossa nação.

Licínio de Almeida! Licínio de Almeida!
grande nome que grande expressão,
No progresso, no progresso,
na grandeza de nossa nação.



Informações úteis
Unidade federativa: Bahia
Coordenadas da sede: -42° 30" 28,80" Long. e -14° 40" 55,20" Lat.
Mesorregião: Centro-Sul Baiano IBGE/2008
Microrregião: Guanambi IBGE/2008
Características geográficas: Área 785,42 km²
População: 12.695 hab. estatistica IBGE/2007
Densidade: 16,16 hab./km² Altitude 852 m
Fuso horário: UTC-3
Indicadores IDH: 0,675 médio  PNUD/2000
PIB (1.000): R$ 33.201 mil IBGE/2005
PIB per capita: R$ 2.949,00 IBGE/2005
Código do município no IBGE 2919405



Referências

1.    ↑ a b Divisão Territorial do Brasil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2009.

2.    ↑ Estimativas da população para 1º de julho de 2009 (PDF). Estimativas de População. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (14 de agosto de 2009). Página visitada em 16 de agosto de 2009.

3.    ↑ Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil. Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Página visitada em 11 de outubro de 2008.

4.    ↑ a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2002-2005. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (19 de dezembro de 2007). Página visitada em 11 de outubro de 2008.

Esta solução foi desenvolvida pela parceria
Instituto Ayrton Senna  Auge Tecnologia e Sistemas
Copyleft - Política de Utilização